Mensagem

Mensagem de Aristotelino Alves Praeiro psicografada por Divaldo Franco em 1994

Divaldo Pereira Franco, Aristotelino Alves Praeiro e Manoel Miraglia em 1971

VIGILÂNCIA, ORAÇÃO E TRABALHO

Meus irmãos e meus amigos,

Que a doce paz de Nosso Senhor Jesus-Cristo tome conta de nossas vidas!

Continuamos juntos na Seara da Luz, procurando acumular os tesouros do discernimento e do trabalho, a fim de sermos considerados servidores fiéis.

São tantos os impedimentos que surgem pelo caminho, ameaçando o êxito da realização que, não raro grande número de candidatos do Bem desanima e abandona o serviço. Para esse tipo de obreiro, o ideal seria o fácil acesso aos patamares elevados, sem que fossem necessários a prova e a aferição de valores. Ao se apresentar para agir na obra do Cristo, esse grupo se supõe imune ao sofrimento ou credor de deferências que, em realidade, não merece.

Por isso, ainda são escassos os servidores dedicados que tomam a charrua e não olham para trás.

Nós, porém, ouvimos o chamado e o atendemos sem medir esforços, entregando-nos de coração confiante às mãos do Divino Condutor, que jamais nos abandona.

Alegro-me com a sua decisão de manter a nossa Casa assinalada com o selo da mansidão de Jesus e caracterizada pela conduta do Bem em todas as suas resoluções. Se algo ameaçasse a nossa realização, a estrutura do nosso serviço, isso seria a dissensão, que levaria ao divisionismo com prejuízo à ordem e em favor do personalismo, esse terrível inimigo do progresso humano.

Haja o que houver, que sejam mantidos a fraternidade, o clima de união e de entendimento, porquanto, todos estamos a serviço do Mestre Único, que nos ensinou e vivenciou o amor sempre e em quaisquer circunstâncias.

Estes são dias de desafios, de mudanças de padrões morais, de surgimento de uma nova ordem, que sairá dos escombros de uma sociedade cansada de violência, de sexo e de insensatez.

Os espíritas, que perseguem os ideais de engrandecimento, defrontarão os obstáculos agressivos nessas áreas, experimentando as atribulações da época, que se apresentarão como vírus contaminadores ou como psicosfera envenenada, que terminaria intoxicando todos aqueles que a experimentem por largo tempo.

Mais do que nunca se tornam necessários a vigilância, a oração e o trabalho, que equilibrarão as vidas de resistências, oferecendo credenciais de paz e saúde moral para atravessar-se o período que será de curta duração.

Não se estranhem, desse modo, os sofrimentos, as incompreensões, as lutas, serão as cicatrizes das feridas que nos assinalarão nas batalhas da evolução.

Nossa Federação tem a missão de cristianizar as terras virgens do Mato Grosso, implantando nas mentes e nos corações a mensagem libertadora do Evangelho, em Espírito e Verdade, conforme o viveram Jesus e os seus Apóstolos.

Não anotem problemas – resolvam-no, não relacionem incompreensões – aclarem-nas, não guardem ressentimentos – diluam-nos; não separem corações – unam-se…

Somente se conseguirá uma sementeira feliz, se for entronizada na própria existência a paz, que é o resultado do dever nobremente cumprido.

Nossos guias confiam no espírito de sacrifício decorrente da iluminação de consciência, dos nossos irmãos e amigos, que operam em nossa Casa.

(…)

O campo a cuidar é muito grande e as decisões harmônicas devem ser aplicadas com calma e bom direcionamento, objetivando-se sempre a realização do melhor ao alcance.

Herdeiros do passado, todos carregamos pesados fardos de intolerância, de egoísmo, de malquerença, que nos cumpre despojar pelo caminho.

Lentamente, o amor de Nosso Pai nos facultará crescer e ser livres das paixões.

Não desanimem!

A criança carente, o enfermo, a família em abandono, o obsidiado, o esfaimado, o desnudo são nossas oportunidades de vivenciar a Doutrina no Mundo… A tolerância, a paciência, a piedade fraternal, o perdão, a solidariedade, a unção no Bem, são os recursos que não poderemos dispensar para a própria iluminação.

Unamo-nos e vivamos o Evangelho esclarecido pelo Espiritismo, a fim de sentirmos Jesus e O apresentarmos aos nossos irmãos com a dignidade e elevação que Ele merece.

Se algo mais o velho companheiro de lutas pudesse acrescentar, seria: – Meus irmãos e meus amigos, Jesus espera que cumpramos com o nosso dever, aguardando-nos amoroso e pacientemente.

Abraçando-os a todos e aos demais companheiros de nossa Casa em Cuiabá e em todo Mato Grosso, o amigo dedicado e muito reconhecido,

Praeiro.¹

(Mensagem recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, em Salvador, Bahia, em 14 de abril de 1994)


¹ Aristotelino Alves Praeiro (1903 – 1993). Foi militar, maçom emérito e teve atuação destacada em diversos órgãos públicos de Cuiabá. Foi o primeiro presidente da Federação Espírita do Estado de Mato Grosso, quando de sua fundação, em 1956.